domingo, 16 de julho de 2017

Fiscalização impõe multa de até R$ 1,7 milhão à Concessionária que opera SP-101


Uma operação especial de fiscalização da ARTESP, denominada “Blitz Olho Vivo”, identificou 51 não conformidades na SP-101, entre os municípios de Campinas e Tietê. A maioria dos registros identificados pelos agentes e técnicos da ARTESP se refere a danos no pavimento e limpeza dos terrenos vizinhos à pista, além de sinalização de advertência aos motoristas.

De acordo com o contrato de concessão, concessionária teria que cumprir prazos para a realização de reparos e readequações das não conformidades que variam de 24 horas a 30 dias. A concessionária Rodovias do Tietê é responsável pela administração, manutenção e operação de 406 quilômetros de pistas no Estado., o que inclui a extensão total da SP-101.

Opera também as rodovias SP-113 e SP-209, além de trechos das rodovias Marechal Rondon e da Rodovia do Açúcar. Na  SP-101, também conhecida como Campinas – Monte Mor, os problemas são no pavimento, sistema de drenagem (como canaletas quebradas ou obstruídas); limpeza no pavimento e problemas nas placas de regulamentação (com índice de visibilidade abaixo do padrão exigido pela Artesp), entre outras irregularidades.

Desde o início da concessão, a ARTESP aplicou R$ 5,2 milhões em multas à Rodovias do Tietê. Nos últimos 12 meses, a concessionária recebeu 23 notificações por atraso de obras, não cumprimento de prazo para entrega do Programa de Redução de Acidentes, veículos operacionais em desacordo com o estipulado em contrato, falta de conservação de pavimento e de conclusão de recapeamento, entre outros. Até a gravação dessa matéria não recebemos retorno do direito de resposta da concessionária.

Pacientes já contam com teste genético para identificar o desenvolvimento do câncer

Alguns dos principais centros que atuam no tratamento contra o câncer no Brasil já fazem o chamado teste genético. O exame ajuda a identificar quem pode desenvolver a doença na mesma família. Veja na reportagem!

Fonte: Jornal da Record

 

Estrondo ouvido em Hortolândia, Sumaré e Monte Mor continua sendo mistério


Relatos de moradores de Hortolândia, Sumaré e Monte Mor sobre um estrondo ouvido na noite desta quinta-feira nessas três cidades, tomam as redes sociais nesta sexta. Todo mundo querendo saber o que ocorreu. Alguns dizem que sentiram até um tremor e ai, as teorias são as mais diversas – até da queda de meteorito.

Luiz Cláudio Alves mora no Jardim Adelaide ouviu o barulho e logo na sequência isso já virou assunto entre amigos. Ninguém conseguiu desvendar o mistério.

Rodrigo Bahia chegou a percorrer vários pontos de Hortolândia para ver se descobria alguma coisa. Ele foi mandando áudios no WhatsApp aos amigos, mas no fim, não conseguiu descobrir o motivo do estrondo.

Na manhã desta sexta, o mistério do estrondo continuava. Guarda Municipal, Polícia Militar, Defesa Civil e Corpo de Bombeiros não tinham registros de ocorrências que justificassem o barulho.

Também entramos em contato com o Centro de Sismologia da USP e não havia nenhuma informação sobre algo que pudesse ter causado e estrondo ou mesmo o tremor relatado por alguns.

Chapecoense vence na Arena Condá, quebra jejum e afunda o São Paulo na crise

Túlio de Melo e Lucas Marques fazem os gols que encerram a sequência de sete partidas sem resultados positivos. Há nove sem ganhar, Tricolor segue entre os últimos.




No confronto entre dois times em um longo jejum, a Chapecoense conseguiu respirar na luta para fugir dos últimos lugares no Campeonato Brasileiro. Túlio de Melo, dois minutos depois de entrar na etapa final, e Lucas Marques, nos acréscimos, marcaram na vitória por 2 a 0, neste domingo, na Arena Condá, pelo Campeonato Brasileiro. O resultado complica ainda mais a crise vivida pelo Tricolor.

O triunfo em casa faz a Chapecoense pular para 18 pontos e abrir vantagem para a zona do rebaixamento. Além de seguir sem vencer sob o comando de Dorival Júnior (um empate e uma derrota), o São Paulo permanece entre os quatro últimos do torneio, com apenas 13 pontos.


Acidente envolvendo um caminhão, um ônibus e seis carros deixa dez feridos em Campinas


Dez pessoas ficaram feridas em um acidente na Avenida Imperatriz Leopoldina no cruzamento com a Buarque de Macedo na região do Taquaral em Campinas. A ocorrência foi no início da tarde desta sexta-feira, envolvendo seis carros, um caminhão carregado de material para reciclagem, e um ônibus da linha 332 do transporte municipal.

Segundo informações da Polícia Militar o caminhão descia a Imperatriz e teria perdido o freio. Ele só parou quando bateu no ônibus, e por se tratar de uma descida, pela velocidade acabou atingindo os outros seis veículos. Houve bloqueio total na Imperatriz sentido Taquaral. Sobre os feridos, a informação é de que um teve fratura exposta e os outros nove tiveram ferimentos leves.

UM GOVERNO PARA POUCOS!!!! Fechamentos de Farmacias populares afetam os mais pobres, diz federação


Na avaliação da diretora da Fenafar (Federação Nacional dos Farmacêuticos) Gilda Almeida o primeiro impacto do fim das unidades próprias do Farmácia Popular (leia texto na página 7) é a restrição no acesso aos medicamentos para a população mais carente.
 
"Os afetados com certeza serão os mais pobres, que terão mais dificuldade de acesso aos medicamentos", afirmou Gilda, também diretora do Sindicato dos Farmacêuticos do Estado de São Paulo. Segundo ela, o fato de a demanda ser redirecionada para as unidades farmacêuticas da rede municipal de saúde não alivia o problema dos fechamentos. "A população fica mais limitada, ao invés de ampliar o acesso. Depende do horário de funcionamento dos postos de saúde, dos dias que os postos abrem ou não", completou.
 
Outro ponto criticado pela diretora foi a adoção da medida sem um prévio abastecimento dos estoques municipais. "Antes de sair fechando, deveriam tentar reabastecer os postos de saúde e as UBSs (Unidades Básicas de Saúde) para garantir um estoque e disponibilizar esse acesso antes. Nas UBSs já estão faltando medicamentos agora, quem dirá depois que fechar", lamentou Gilda.
 
Ela também contesta o motivo apresentado pelo governo para pôr fim no programa. "Acho que isso é uma desculpa, esse valor de 80% (de gastos estruturais e operacionais) não é verdadeiro. Para mim eles (atual governo) não priorizam a questão social e querem fechar porque isso foi um projeto do outro governo", afirmou.
 
Já o CNS (Conselho Nacional de Saúde) aponta a redução no número de medicamentos ofertados pelo Aqui Tem Farmácia Popular na comparação dos que são oferecidos nas unidades do Farmácia Popular.
 
"Mesmo que estes municípios venham a ser contemplados por uma drogaria credenciada, o elenco é diferente. A rede própria (Farmácia Popular) possui 112 itens e as farmácias e drogarias da rede 'Aqui Tem' trabalham com apenas 25 itens. Assim, existem medicamentos indicados para o tratamento da hipertensão, por exemplo, cujo acesso é gratuito pelo usuário, que somente constam do rol da rede própria", afirmou o presidente do CNS, Ronald Ferreira dos Santos, em nota divulgada pela entidade.
 
O CNS também questiona a falta de discussão e debate com a sociedade e até com os trabalhadores da categoria para saber se a medida seria vantajosa ou não.

Imagens mostram detentos com várias regalias em presídio no Rio de Janeiro

A equipe de reportagem do Jornal da Record teve acesso ao vídeo, que foi gravado com um celular. No Presídio Evaristo de Moraes, na zona norte do Rio, cinco presos são flagrados usando um celular, comendo lanches e bebendo refrigerantes.


Justiça rejeita ação contra Dixon em Paulínia


A 2ª Vara de Paulínia negou, na última terça-feira, um mandado de segurança pleiteado pelo vice-prefeito de Paulínia, Sandro Caprino (PRB), contra o prefeito Dixon Carvalho (PP). Caprino pediu a destituição do assessor especial de políticas públicas Márcio Rosa Santos, que foi nomeado por Dixon para atuação no gabinete do vice. Caprino anunciou rompimento político com o chefe do Executivo no primeiro semestre.
 
Caprino, que se afastou do governo em 11 de maio, classifica o servidor como um "infiltrado" do prefeito. O vice também requisitou a contratação de outras três pessoas indicados por ele.
 
A juíza Viviani Dourado Berton Chaves, no entanto, entende que o Poder Judiciário não deve interferir em assuntos internos do Poder Executivo. Portanto, ela decidiu extinção do processo. "Não há (...) condições para que o Poder Judiciário intervenha nessa querela, ainda mais porque eventual decisão acirrará ainda mais os ânimos já exaltados", apontou.
 
Santos disse que processará Caprino por danos morais. "Foi discriminação o que ele fez. (Dixon) me nomeou para ajudar o Sandro, e ele não quis ajuda", comentou. O servidor afirmou que deve protocolar a denúncia na Justiça até terça-feira.
 
Caprino declarou que entrará novamente com um mandado de segurança contra Dixon e, se preciso, recorrerá até a última instância. O advogado dele, Fabio Martins, afirmou que entende que o vice deve contar com assessores de sua confiança. Ele se baseia no artigo 37 da Constituição Federal e no artigo 1º do anexo 16 da lei que dispõe sobre reorganização da estrutura administrativa da prefeitura, do dia 15 de março deste ano. De acordo com Caprino, Santos disse a ele que obedeceria apenas a Dixon.

A revolução de Aquenáton, o faraó que acabou com 2 mil deuses e instaurou o monoteísmo no Egito

Desde o início de seu reinado, o faraó Aquenáton e sua mulher Nefertiti decidiram desafiar todo o sistema religioso do Antigo Egito. Dispostos a sacudir as bases de sua sociedade, eles criaram ideias que levariam o império à beira do abismo. 

Fonte: BBC Brasil

Direito de imagem Getty Images
 
O casal começou a reinar durante os anos dourados da civilização egípcia, por volta de 1.353 a. C., quando o império era o mais rico e poderoso do mundo —as colheitas eram abundantes, a população, bem alimentada, os templos e palácios reais estavam cheios de tesouros e o exército obtia inúmeras vitórias contra todos os inimigos. Todos acreditavam que o sucesso vinha por conseguirem manter os deuses felizes. 

Foi então que Aquenáton chegou ao trono com o ímpeto de modificar uma religião de 1,5 mil anos de idade. 

Aquenáton e sua mulher, Nefertiti 
 Foto: Casado com a famosa rainha Nefertiti, Aquenáton também era conhecido com Amenhotep IV

Somente o sol

A ideia era revolucionária: pela primeira vez na história, um faraó queria substituir o panteão de deuses egípcios por uma única divindade — o deus Sol, ou Atón, o criador de todos. 

A proposta era considerada uma heresia. Mas como o faraó era considerado um deus na terra, tinha poderes ilimitados para modificar o que quisesse. Ele decretou que os 2 mil deuses que eram adorados no Egito havia mais de um milênio estavam extintos. Suas aparências humanas e animalescas foram substituídas pela forma abstrata do Sol e de seus raios.
 O sol no trono de Tutancâmon, que talvez tenha sido refeito para Aquenatón

 Foto: O sol era o único deus necessário para nova religião


Para os poderosos sacerdores tradicionais, que haviam dedicado suas vidas inteiras aos deuses antigos, a mudança de doutrina era uma catástrofe. Eles praticamente haviam governado o Egito, agora eram dispensáveis — e formavam um grupo perigoso de inimigos para Aquenáton. 

No quinto ano de seu reinado, o faraó decidiu que deixaria a cidade de Tebas e se instalaria ao norte do rio Nilo. 

Rumo ao futuro

Àquela altura, era evidente que Aquenáton queria romper com o passado. Ele deu a Nefertiti igualdade de poderes e o título de Grande Esposa Real. Juntos eles viajam 320 quilômetros e mandaram construir uma cidade no local onde hoje fica o município de Amarna.

Sobre uma rocha que ainda existe nas colinas da região, está escrita uma proclamação pública composta por Aquenáton que explica o motivo que o levou a escolher precisamente aquele lugar. Ele teria sido comandado pelo próprio deus Sol, que o mandava edificar ali. 

A comunicação teria sido feita por meio de um sinal: a região é cercada de colinas, e em certas épocas do ano o Sol se põe entre elas, criando a forma do hieróglifo do horizonte. Aquenáton interpretou isso como um sinal.

Horizonte de Atón

Millhares de pessoas de Tebas foram trazidas para construir, decorar e administrar a nova capital, que chegou a ter população de 50 mil pessoas. 

A cidade tinha poços, árvores e jardins florescendo no meio do deserto. Casas, palácios e templos ao deus único foram criados em tempo recorde. 

O local foi batizado de Ajetatón —horizonte de Aton— e se tornou o novo coração político e religioso do império, e o centro de um novo culto. 

Não só a capital e a religião mudaram. A revolução iniciada pelo casal real trouxe outras novidades: nos costumes. 

Retrato da família real


Retrato da família real


Gravuras cheias de detalhes encontradas em Amarna mostram momentos íntimos da vida da família real, como Aquenáton e Nefertiti abraçando suas filhas. Até então, nenhuma família real egípcia havia sito retratada em demonstrações de carinho. 

São obras espontâneas e cheias de vida se comparadas com a arte egípcia anterior, que tende a ser mais estática e monumental. 
Estátua de Akenatón 
As estátuas do faraó que ainda existem possuem as mesmas qualidades. A sua postura, de pé, com os braços cruzados sustentando insígnias reais, é comum. Mas sua fisionomia é completamente diferente da dos soberanos que vieram antes e depois, que costumam ter semblantes fortes e viris.

Aquenáton, ao contrário, tem um rosto comprido, com um nariz grande que aponta para sua barba. Seus inusitados lábios carnudos, seus quadris largos e sua barriga um pouco proeminente remetem a uma sensualidade feminina. 





Oração ao ar livre

A arquitetura do período também demonstra um desejo de romper com o passado. Os templos tradicionalmente fechados se afunilavam, com o piso levemente levantado e o teto caído, e pouquíssima entrada de luz. 

O culto ao Sol trouxe santuários ao ar livre, algo que nunca havia sido feito em grande escala.


Em certo momento, os únicos fiéis autorizados a entrar nos templos eram o faraó e sua mulher. A partir de textos encontrados nos dias de hoje, os estudiosos teorizam que Aquenáton e Nefertiti passaram a acreditar que somente eles podiam se comunicar com Aton. O faraó seria filho de Deus e Nefertiti também seria divina - os súditos deveriam adorá-los. 

Foi o ápice de sua revolução religiosa.

Queda

No entanto, as coisas começaram a desandar. Os súditos não haviam de fato abandonado a adoração aos outros deuses, então Aquenáton ordenou que todas as imagens dos deuses antigos fossem destruídas, especialmente as do deus maior do panteão, Amon-Rá.

Também mandou seus soldados apagarem a memória de todos os deuses em suas terras. No fim de seu reinado, sua revolução se enfraqueceu - como ele se recusava a sair da nova cidade, era visto como fraco e o império como vunerável a invasões. 

Tábuas de escrita do período


Tábuas de argila encontradas em Amarna mostram o estado em que se encontrava o império. Uma delas foi enviada pelo governante de um dos países vizinhos protegidos pelo faraó. Ele pedia que o Egito enviasse tropas para ajudá-lo a manter os hititas, inimigos do império, sob controle. 

"Já pedi, mas não fui respondido. Não me enviaram a ajuda de que preciso", se queixava o governante. Aquenáton nunca enviou tropas e o Estado vizinho caiu nas mãos dos hititas — o exército estava tão ocupado em missões de perseguição religiosa que o Egito perdeu territórios, poder, posses e status no continente.

Muitas tragédias

Nas paredes do túmulo de Aquenáton está gravado o drama da família.

Apesar de estar muito danificada, é possível ver uma cena de luto. Umas das princesas morreu e seus pais aparecem chorando - algo sem precedentes, já que as famílias reais jamais demonstravam emoções em público. 

Outras evidências indicam que Aquenáton perdeu mais de uma filha, provavelmente por causa da peste, que arrasava a região na época. 

Epidemias do tipo podiam matar até 40% da população, e, como era faraó, Aquenáton era considerado pessoalmente responsável pela desgraça. Para os súditos, a catástrofe era resultado de uma ofensa feita aos antigos deuses. 

No pico da crise, a rainha Nefertiti morreu e o soberano perdeu a mulher que o havia acompanhado desde o princípio. 

Paraíso perdido

O paraíso de Aquenáton estava à beira do colapso. O Egito estava perdendo sua riqueza e poder. 

Treze anos depois da fundação de sua cidade, Aquenáton morrreu. Há quem acredite que ele tenha sido assassinado para que seu reinado terminasse. 

A cidade foi abandonada e, mais tarde, sistematicamente destruída e apagada dos registros. Também foram esquecidos o culto à Atón e o próprio Aquenáton, que durante muito tempo só foi lembrado por ser, segundo indicam os registros, o pai do grande Tutancâmon, seu sucessor. 

Máscara mortuária de Tutankamón

Foto: Tutancâmon é o mais famoso dos 170 faraós que se estima terem governado o Egito.

Foi Tutancâmon quem resgatou os antigos deuses e restaurou o poder e a prosperidade do Egito. Os sacerdotes voltaram a ter seu antigo poder, e a vida voltou à normalidade. 

Nenhum outro faraó egípcio voltou a tentar mudar a ordem estabelecida e desafiar a religião tradicional. Os que vieram após Aquenáton se esforçaram por destruir todos os registros de seu culto herege. 

Suas estátuas foram derrubadas e as pedras dos templos usadas como material para a construção de novos prédios. As rochas esculpidas foram escondidas que ninguém voltasse a vê-las. 

Isso acabou preservando-as para a posteridade: na década de 1920, elas começaram a reaparecer. Muito do que sabemos de Aquenáton e do culto a Atón vem delas.
 Ruínas da cidade

Foto: Ruínas da cidade que foi o sonho de Aquenáton e Nefertiti se encontram próximas à cidade de Amarna

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Detran de SP faz campanha para lembrar que pessoas podem sorrir em foto de CNH

'Vai ter sorrisão", diz slogan de campanha. Polêmica segue após post feito por fotógrafo em MG. Já a PF não libera sorriso em passaportes.

Fonte: G1

A polêmica sobre sorrir ou não ao tirar fotos para documentos continua tomando conta das redes e é uma dúvida comum de quem vai a unidades do Poupatempo em São Paulo para obter documentos. O tema voltou à tona após o fotógrafo de Minas Gerais Filipe Borges divulgar sua Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e contar que precisou insistir para poder sair sorrindo. 



Em São Paulo, o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) divulgou nesta semana um post no Twitter em que afirma que o sorriso está liberado. "Você pode sorrir pra foto da CNH sim", diz o tweet. O órgão fez, inclusive, uma ilustração com imagem semelhante à do fotógrafo Filipe Borges. 

Como não existe legislação dizendo se pode ou não sorrir na foto, a decisão cabe ao órgão responsável pela emissão do documento. A Polícia Federal, por exemplo, não permite sorrir em fotos de passaporte. 

Insistência

A imagem do documento, que viralizou na internet, foi resultado de muita insistência. “No dia 27 de junho eu fui a uma clínica aqui em Sete Lagoas (MG) fazer um exame para renovar a carteira. Aí, quando eu fui tirar a foto, sorri. A moça disse que não podia tirar sorrindo. Foi aí que eu argumentei, ‘qual é o problema de tirar sorrindo?’”, conta Filipe Borges. 

Segundo o fotógrafo, a atendente disse que a razão seria facilitar a identificação no caso de uma eventual investigação da polícia. Filipe contestou a justificativa dizendo que as pessoas tinham o costume de ser fotografadas sérias porque o processo de registro era lento e sorrir poderia borrar a foto. 

Ainda de acordo com Filipe, a atendente disse que ele deveria assinar um termo de próprio punho se responsabilizando pelo “sorriso”. “O legal é que quando eu saí do exame, a moça veio me dizer que tinha ligado pro Detran e o pessoal falou que eu poderia tirar a foto do jeito que eu quisesse”, contou.

Rogéria segue internada mas passa bem, diz empresário

Atriz segue internada no CTI de uma clínica particular na Zona Sul do Rio, com um quadro de infecção urinária. De acordo com o empresário, Alexandro Haddad, ela está sendo mantida no local por precaução.

Fonte: G1

A atriz Rogéria, de 74 anos, segue internada no CTI de uma clínica particular em Laranjeiras, na Zona Sul do Rio, com um quadro de infecção urinária. De acordo com o empresário da atriz, Alexandro Haddad, ela está sendo mantida no local por precaução. 

 

“Ela está no CTI para ser assistida mais de perto. Está sem aparelhos, apenas com o monitoramento do coração”, explicou Haddad. 

Ainda segundo o empresário, ela passou por uma bateria de exames no começo da noite e os exames apresentaram resultados normais. 

Rogéria foi levada por Haddad até a clínica após reclamar de dores nas costas. Lá, foi diagnosticada com uma infecção urinária pela qual deveria ficar internada e receber uma medicação que exigia que ela permanecesse internada. De acordo com o empresário, ela só está um “pouco grogue”, mas conversa normalmente. 

Na quinta-feira (13), o empresário falou ao G1 que agenda de trabalho da atriz segue mantida. 

O G1 entrou em contato com a clínica, mas não obtivemos resposta até a publicação dessa reportagem.

A 2ª temporada de 'Stranger Things' estreia em 27/10


A nova temporada da série 'Stranger Things', da Netflix, estreia no próximo dia 27 de outubro. A 2ª temporada da série, que é ambientada nos anos 80 e combina ficção científica e terror, chega mais de um ano após a bem-sucedida primeira, que rendeu uma indicação ao Globo de Ouro de melhor série de drama e ainda a vitória no SAG Awards na categoria de melhor elenco de série de drama.
 
 
 
Os novos episódios da série terão início durante o Halloween do ano seguinte aos acontecimentos da primeira temporada. O garoto Will (Noah Schnapp), que havia desaparecido na primeira temporada, começa a sofrer as consequências de ter passado tanto tempo em um mundo paralelo, e surgem novas revelações sobre o passado de Eleven (Millie Bobby Brown), garota com poderes paranormais que virou cobaia de um experimento secreto.

Ministro diz que 'médico tem de parar de fingir que trabalha'

Ministério da Saúde vai usar a biometria para controlar trabalho dos médicos da rede pública. O CFM (Conselho Federal de Medicina) classificou as declarações como pejorativas, inadequadas e reflexo da incapacidade de autoridades em responder às necessidades da população. A Federação Médica Brasileira atribuiu as críticas ao "desespero de tentar salvar um governo afundado em denúncias de corrupção".

Fonte: R7

O Ministério da Saúde vai usar a biometria para controlar a jornada de trabalho dos médicos que atuam na rede pública. A ideia é adotar o sistema em todas as unidades básicas de saúde para acompanhar horas trabalhadas e, simultaneamente, criar um controle de produtividade, com metas de atendimento. "Vamos parar de fingir que a gente paga médicos, e o médico parar de fingir que trabalha. Isso não está ajudando a saúde do Brasil", disse o ministro Ricardo Barros no lançamento do programa, em que estava o presidente Michel Temer.

As metas de produtividade ainda estão discussão. O plano inicial é estabelecer critérios de acordo com a atividade. Consultas, por exemplo, deverão obedecer ao padrão recomendado pela OMS (Organização Mundial da Saúde), e ter, no mínimo, 15 minutos de duração. Os critérios adotados de forma conjunta têm como objetivo evitar, por exemplo, que o profissional apresse o atendimento para ir embora mais cedo, informou Barros. "Um médico que tem quatro horas de jornada, por exemplo. Ele pode dedicar cinco minutos para cada paciente e ir embora. Temos de ter uma média de desempenho." Aqueles que não cumprirem a jornada de trabalho estarão sujeitos a processo administrativo.

A biometria integra uma das políticas ditas por Barros como prioritárias de sua gestão: a informatização do SUS. Para tentar acelerar esse processo, a pasta deverá arcar com 50% dos gastos de prefeituras com a contratação de empresas de informática. A meta é de que todas as unidades básicas estejam informatizadas até o fim do ano.

O Ministério da Saúde não soube informar quantos serviços contam atualmente com biometria. Experiências foram relatadas em Goiânia, Maceió e na cidade paranaense de Pinhais. De acordo com Barros, onde o sistema já está em funcionamento metade dos médicos pede demissão. "Eles têm vários trabalhos e acabam abandonando o serviço quando há maior controle da jornada", disse. De acordo com Barros, a média de comparecimento de médicos identificada até o momento é de 30%. "Isso vai mudar com a biometria."

Ele disse ainda que a jornada de trabalho desrespeitada acaba criando uma sobrecarga de demanda em hospitais. "Lá o paciente sabe que vai encontrar médico." Ele admitiu, no entanto, que a simples adoção da biometria não será suficiente para reduzir vazios assistenciais. Assim que profissionais começarem a pedir demissão para fugir de maior controle, prefeituras terão de ofertar salários mais atraentes - isso explicaria a frase: "a gente finge que paga".

Reação

O CFM (Conselho Federal de Medicina) classificou as declarações como pejorativas, inadequadas e reflexo da incapacidade de autoridades em responder às necessidades da população. A Federação Médica Brasileira atribuiu as críticas ao "desespero de tentar salvar um governo afundado em denúncias de corrupção".

A AMB (Associação Médica Brasileira) cobrou retratação e disse que o "ministro mostra absoluta falta de conhecimento sobre funcionamento e entraves do sistema".

Na mesma linha, Lavínio Nilton Camarim, presidente do Cremesp (Conselho Regional de Medicina de São Paulo), destacou que no interior "profissionais têm tido a tolerância de ficar até quatro meses sem remuneração" e o governo tenta passar para os médicos "a responsabilidade de um mau atendimento".

Para o presidente do CFM, Carlos Vital, as afirmações de Barros são lastimáveis. "Não é justo com a classe médica."

Vital disse não ser contrário à adoção da biometria, mas observou que a medida, se de fato implementada, deveria valer para todos os funcionários. Já a opinião sobre as metas de produtividade, no entanto, não é a mesma. "Profissionais têm responsabilidade. Eles sabem exatamente o que tem de ser feito, não se arriscam de forma a colocar em risco o paciente." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

TRF-4 vai analisar "provas indiretas" contra Lula

O grande embate jurídico na corte de apelação deverá girar em torno dessas provas indiretas listadas por Moro em sua sentença.


Notas fiscais, contratos de serviços, mensagens de e-mail, registros de imóvel, laudos periciais e delações. Sem a transferência formal do tríplex do Guarujá (SP) de posse da construtora OAS para o nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, essas foram as provas indiretas usadas pelo juiz federal Sérgio Moro na condenação do petista a 9 anos e 6 meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro que vão passar por um novo crivo na segunda instância, pelos desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4), em Porto Alegre.



Foto: UOL Notícias

Segundo juristas, o grande embate jurídico na corte de apelação deverá girar em torno dessas provas indiretas listadas por Moro em sua sentença, como laudo pericial sobre registro do imóvel no Edifício Solaris em nome da ex-primeira-dama Marisa Letícia e o depoimento de José Adelmário Pinheiro Filho, o Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, no qual ele afirmou que o apartamento reformado pela empreiteira pertencia a Lula. A defesa do ex-presidente sustenta que não há provas de que o imóvel tenha pertencido ao petista.

"O artigo 317 do Código Penal define como crime de corrupção passiva solicitar ou receber vantagem indevida. Esses são os dois verbos nucleares desta ação e o grande ponto de discórdia. Vale lembrar que o grande debate do mensalão foi sobre a necessidade ou não do ato de ofício", disse Renato de Mello Jorge Silveira, professor de Direito Penal da USP e diretor do Instituto dos Advogados de São Paulo (Iasp).

"É justamente a ocultação ou a dissimulação da propriedade proveniente de crime o que caracteriza a lavagem de dinheiro. Ou seja, não é necessário provar que ele (Lula) é de direito dono do apartamento. Se o fosse não haveria lavagem", disse Gustavo Badaró, especialista em Direito Criminal e também professor da USP. Na sentença, Moro afirmou que Lula cometeu os crimes entre 2009 e 2014, a partir da aquisição do edifício em nome da Bancoop pela OAS e com as reformas feitas pela empreiteira.

Estratégia
 
Os especialistas argumentaram que a defesa do ex-presidente Lula poderá tentar a prescrição da pena imputada ao petista caso os advogados consigam circunscrever os supostos crimes praticados ao período inicial da acusação. "Como o ex-presidente tem mais de 70 anos, o prazo de prescrição dos seis crimes, que é de 12 anos, caiu pela metade", explicou Silveira.

Segundo o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Carlos Velloso, o TRF-4 vai examinar a sentença. "Vai examinar tudo. Os fatos, as provas, o direito, porque a apelação ao tribunal se examina a justiça da decisão. Tudo será reexaminado no julgamento da apelação, que pode alterar a pena, reformar a sentença ou confirmá-la."

Para o professor da Fundação Getulio Vargas (FGV) no Rio Thiago Bottino, começa um "novo jogo". "Os desembargadores farão a mesma coisa que o Moro fez, mas é como se o jogo recomeçasse zero a zero. Agora, o Lula pode ser absolvido no caso do tríplex, pode ser condenado no caso do armazenamento de bens. As possibilidades estão abertas."

Ônibus intermunicipal fica mais caro a partir de sábado


Em virtude do reajuste das tarifas de pedágio, a partir do próximo sábado, 12 linhas metropolitanas, gerenciadas pela Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo (Emtu) em Campinas terão reajuste na tarifas dos serviços intermunicipais. O reajuste varia entre R$0,05 e R$ 0,10 nas operadas pelas empresas Ouro Verde, Salamanca, VB. Os usuários estão sendo informados a respeito do reajuste por meio de avisos afixados nos ônibus, internet e mídias sociais. Em fevereiro, os valores das tarifas das linhas intermunicipais já haviam sido reajustadas em 7,06% levando em consideração os custos dos insumos do transporte como mão de obra, combustível e veículos, além das cláusulas contratuais com o Consórcio Bus+.
Empresa Ouro Verde
- Linha 633
- Reajuste do pedágio: R$ 0,10
Empresa Salamanca
- Linha 693
- Reajuste do Pedágio: R$ 0,05
Empresa VB
600, 601, 606, 606 DV1, 606EX1, 607, 608, 609, 738 e 738VP1
- Reajuste do pedágio: R$ 0,05

Tribunal deve analisar recurso de Lula antes das Eleições 2018

Presidente do TRF4, desembargador Thompson Flores prevê julgamento até agosto de 2016.

 
O desembargador Carlos Thompson Flores, presidente do TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4.ª Região), em Porto Alegre, disse na última quinta-feira (12) que o processo em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi condenado a 9 anos e meio será julgado em segunda instância antes das eleições de 2018.

— Eu acredito que este recurso será julgado no máximo até agosto do ano que vem. Porque esta é a média de tempo que estão levando os processos da Operação Lava Jato.
Se o ex-presidente Lula não for julgado antes e, eventualmente, vencer o pleito, Flores afirmou que o processo seria remetido ao Supremo Tribunal Federal, pois ações penais contra presidentes são julgadas na Corte.

— Mas isso é somente uma hipótese.

No TRF-4, o processo será julgado por três desembargadores: João Pedro Gebran Neto, Victor Luiz dos Santos Laus e Leandro Paulsen (mais informações na pág. A10).

— São eles que irão decidir se aprovam ou não a condenação de Lula. Os advogados poderão fazer suas sustentações orais, assim como o Ministério Público.

O ex-presidente Lula foi condenado a 9 anos e meio pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A condenação do juiz federal Sérgio Moro, da 13.ª Vara Federal de Curitiba, é a primeira do ex-presidente na Lava Jato - há outras quatro ações contra Lula relativas à operação e outras investigações. Moro não decretou a prisão do petista, segundo ele, para evitar "traumas".

terça-feira, 11 de julho de 2017

Comerciante é baleado durante roubo à padaria em Paulínia


Um comerciante foi baleado após o roubo a uma padaria em Paulínia, na noite desta segunda-feira (10/07). Pelas câmeras de monitoramento é possível ver que dois bandidos encapuzados chegaram em um carro e renderam o proprietário e uma funcionária.

O homem acabou reagindo jogando um banquinho sobre um dos assaltantes, que atirou e acertou a vítima no peito e no braço. Apesar dos ferimentos, foi informado que o estado de saúde é estável.

Essa foi a sétima vez que o estabelecimento foi roubado em dois anos. Não há informações de prisões.

O crime ocorreu cinco dias após o latrocínio do empresário Antônio Oliveira, do restaurante Estância dos Oliveiras no Parque São Quirino, em Campinas. Nesse, a vítima foi rendida no dia em que fazia o pagamento dos garçons. A Delegacia de Investigações Gerais informou que têm feito diligências neste caso, mas neste momento não pode passar informações sobre o inquérito para não atrapalhar os trabalhos.

Hopi Hari anuncia reabertura para 5 de agosto

 Parque também anuncia a Hora do Horror e tentativa de entrar no Guinness Book


O Hopi Hari, de Vinhedo, anunciou que voltará a funcionar no dia 5 de agosto com 72% das atrações em operação. O parque divulgou a informação em sua página no Facebook, no sábado. Segundo a administração, haverá limite de cinco mil visitantes por dia.
 
No dia da reabertura, o Hopi Hari também promoverá a Hora do Horror 2017, com o tema "Karnak - A Maldição da Tumba". O parque ainda comunicou que pretende realizar o maior flash mob (aglomeração de pessoas em coreografia conjunta) do mundo. "Marcaremos a nossa história nos livros dos recordes", ressaltou. Os ingressos podem ser adquiridos por meio do site www.hopihari.com.br, no valor de R$ 150, e o estacionamento custa R$ 40.
 
Em dezembro de 2016, a Folha de S.Paulo publicou que o espaço de lazer enfrentou uma série de pedidos de falência, que em agosto daquele ano havia entrado com pedido de recuperação judicial e que, no fim de 2015, a dívida líquida do estabelecimento estava em R$ 275 milhões.
 
Em abril, devido a dívidas, o espaço de lazer chegou a ter a energia cortada devido a dívidas. Posteriormente o valor foi renegociado e o fornecimento de eletricidade restabelecido. 
 
O local está fechado desde 12 de maio, por determinação do então presidente José Luiz Abdalla - hoje o parque está sob o comando de José David. À época, Abdalla justificou que reportagens negativas estavam afetando "fortemente" as negociações com possíveis investidores.

Presidente do STF rejeita pedidos para suspender andamento de denúncia contra Temer

 Fonte: Yahoo Notícias

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, rejeitou no domingo dois pedidos separados apresentados por deputados de oposição solicitando a suspensão da tramitação da denúncia contra o presidente Michel Temer na Comissão de Constituição (CCJ) da Câmara até que se vote requerimentos para ouvir o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e outras pessoas referente à denúncia.

A ministra indeferiu mandado de segurança apresentado pelos pedetistas André Figueiredo (RS) e Afonso Motta (RS), e também rejeitou uma ação do deputado Alessandro Molon (Rede-RJ) no mesmo sentido.

Os deputados questionavam a decisão do presidente da comissão de rejeitar pessoalmente todos os requerimentos para ouvir Janot e testemunhas. Segundo Pacheco, não cabe à Câmara, na análise da denúncia, fazer instrução do caso, devendo apenas fazer o juízo sobre se autoriza ou não o STF a julgar a denúncia contra Temer por corrupção passiva.

Está prevista para esta segunda-feira a leitura do parecer do relator da denúncia contra Temer, Sergio Zveiter (PMDB-RJ), na CCJ.
em estado grave em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Santa Maria, na região central do Rio Grande do Sul. A criança apresentava hematomas e escoriações pelo corpo. A mãe - uma jov... - Veja mais em https://noticias.bol.uol.com.br/ultimas-noticias/brasil/2017/07/11/menina-de-3-anos-morre-apos-ser-espancada-no-rs-mae-e-padrasto-sao-suspeitos.htm?cmpid=copiaecola

segunda-feira, 3 de julho de 2017

Imprensa internacional repercute caso de bebê baleado na barriga da mãe, no Rio


O bebê baleado dentro da barriga da sua mãe na Favela do Lixão, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, foi assunto na imprensa internacional. Sites britânicos como o "Daily Mail" e o "The Sun", além do argentino "La gaceta", destacaram a tragédia, que ocorreu na última sexta-feira e gerou comoção pelo Brasil. 

O site do jornal "Daily Mail" destacou no título da sua matéria sobre o caso: "Bebê sobrevive depois de ser alvejado enquanto ainda estava no ÚTERO quando mulher grávida de nove meses é atingida por bala perdida no Brasil". A matéria também esclarece, com destaque, que Claudineia os Santos Melo foi ferida durante um tiroteio e que o bebê ficou paraplégico devido ao disparo, que aintgiu seu pulmão e causou danos na coluna vertebral. 

Já o jornal britânico "The Sun" chamou de 'milagre' o fato de o bebê ter sobrevivido. A reportagem também chama a atenção para a violência no Rio de Janeiro, com entrevista feita com o pai da criança. "Sabemos que sempre há risco morando em comunidade. Estamos morando lá há um ano e meio e fomos vítimas da violência pela primeira vez".  

A mãe da criança ainda não sabe que o pequeno Arthur ficou paraplégico. Apesar de estar lúcida e estável, Claudineia ainda não tem previsão de alta médica. Ela está internada na Unidade de Pacientes Graves do Hospital Moacir do Carmo, em Duque de Caxias. 

O jornal argentino "La Gaceta" também deu destaque ao assunto, informando que "a violência entre traficantes e a polícia deixou mais uma vítima". 

A rede 'Al Jazeera' também abordou o caso, mas com enfoque diferente. Na reportagem publicada no site, o destaque ficou para o protesto realizado neste domingo, em Copacabana, por moradores de diferentes comunidades do Rio, contra a violência nas favelas. A reportagem destacou que a manifestação aconteceu dois dias depois de Claudineia e Arthur serem baleados e a mulher precisar passar por uma cesariana de emergência.  

Bebê permanece em estado grave

Segundo boletim da Secretaria municipal de Saúde de Caxias, a última avaliação realizada em Claudineia, na manhã desta segunda-feira, indica que ela está estável e “hemodinamicamente respirando em ar ambiente e alimentando-se por via oral”. Ela apresenta “fratura em osso ilíaco e será submetida a tratamento conservador, sem necessidade de cirurgia”. Ainda de acordo com a prefeitura do município, ela segue em observação e vem apresentando melhoras em seu quadro clínico.

Arthur permanece em estado grave, segundo o boletim divulgado pela Secretaria estadual de saúde, na manhã desta segunda-feira. A criança, que está internada no Hospital estadual Adão Pereira Nunes, na Baixada Fluminense, está paraplégica e com um coágulo na cabeça. O laudo também aponta uma lesão na vértebra, na altura do tórax.

Nesta segunda-feira, o secretário municipal de Saúde de Duque de Caxias, José Carlos de Oliveiras, visitou Claudineia no hospital. Segundo ele, apenas o marido, Klebson Cosme da Silva, de 27 anos, e um primo têm comparecido ao hospital. A mãe de Claudineia, que mora na Paraíba, no Nordeste, ainda não chegou ao Rio.

— O marido conversou com ela e só disse que o bebê está no CTI. O prefeito de Caxias determinou que uma equipe com assistente social e psicologo dê total apoio aos familiares. Estarão ali para prepará-la e ampará-la no momento de contar o que ocorreu — disse o secretário.








quarta-feira, 28 de junho de 2017

PM é salvo por colete a prova de balas durante troca de tiros em Monte Mor


Uma ação da Policia Militar, na noite desta terça-feira em Monte Mor, terminou com a morte de um criminoso. Um PM que participou da ação também foi atingido por um disparo, mas foi salvo pelo colete à prova de balas. A troca de tiros ocorreu no Jardim São Domingos. A ação começou quando a Guarda Municipal identificou o suspeito do roubo através de imagens gravadas pelo circuito interno de segurança de um estabelecimento comercial. De posse do endereço do rapaz, a Polícia Militar foi acionada e montou cerco na casa onde ele morava. Ao perceber a chegada da PM, o homem tentou fugir e abriu fogo contra os policiais que revidaram. O suspeito foi atingido por um tiro e morreu no Hospital Municipal de Monte Mor para onde foi levado.O revólver que ele portava, um calibre 38, foi apreendido. O policial que também foi atingido por um disparo não se feriu, mas ficou com hematomas devido ao impacto da bala no colete que usava.

terça-feira, 27 de junho de 2017

Dilma: ‘Golpe’ deixou País nas mãos do único presidente denunciado por corrupção


A ex-presidente Dilma Rousseff utilizou as redes sociais para comentar a denúncia do procurador-geral Rodrigo Janot contra o presidente Michel Temer. “Resultado do Golpe de 2016: deixar o País nas mãos do único presidente denunciado por corrupção”, escreveu Dilma no twitter e no Facebook. “Impeachment sem crime de responsabilidade: ponte dos perdedores sobre a democracia para o desmonte do País”, completou a petista em uma crítica ao programa “Ponte para o Futuro” do PMDB.



Em sua mensagem, a petista ainda criticou a “grande mídia” e o PSDB e lembrou o pato amarelo utilizado pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), quando defendeu o seu impeachment. “Adeptos do Pato Amarelo conheciam a conduta do grupo que assaltou o Planalto e são responsáveis diretos por sua ascensão”, afirmou. 

Pronunciamento

A assessoria de imprensa do Palácio do Planalto confirmou na tarde desta terça-feira, 27, que o presidente Michel Temer fará um pronunciamento às 15 horas. Fontes adiantaram à reportagem que ele vai se pronunciar para se defender das denúncias de Rodrigo Janot.

Parada do Orgulho LGBT leva multidão ao Centro

A 17ª Parada do Orgulho das Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transexuais (LGBT) de Campinas reuniu, neste domingo, 8,5 mil pessoas no Centro da cidade. Com o tema "Nem Menos nem Mais, Direitos Iguais" , o apelo é o acesso à educação de qualidade e igualitária, o direito de ser chamado pelo nome social, a diminuição da violência e do preconceito e nenhum privilégio. "Queremos menos violência, queremos parar de morrer. Não somos mais minoria e não existe mais justificativa para o preconceito. Não pretendemos ser beneficiados com nada, apenas lutamos pelo respeito e para que tenhamos os mesmos direitos que qualquer um, seja com empregos dignos, seja nas instituições de ensino" , disse a funcionária pública Maria Amélia Moreno Manarini, de 53 anos, que por 15 anos participou da organização da Parada.