segunda-feira, 3 de julho de 2017

Imprensa internacional repercute caso de bebê baleado na barriga da mãe, no Rio


O bebê baleado dentro da barriga da sua mãe na Favela do Lixão, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, foi assunto na imprensa internacional. Sites britânicos como o "Daily Mail" e o "The Sun", além do argentino "La gaceta", destacaram a tragédia, que ocorreu na última sexta-feira e gerou comoção pelo Brasil. 

O site do jornal "Daily Mail" destacou no título da sua matéria sobre o caso: "Bebê sobrevive depois de ser alvejado enquanto ainda estava no ÚTERO quando mulher grávida de nove meses é atingida por bala perdida no Brasil". A matéria também esclarece, com destaque, que Claudineia os Santos Melo foi ferida durante um tiroteio e que o bebê ficou paraplégico devido ao disparo, que aintgiu seu pulmão e causou danos na coluna vertebral. 

Já o jornal britânico "The Sun" chamou de 'milagre' o fato de o bebê ter sobrevivido. A reportagem também chama a atenção para a violência no Rio de Janeiro, com entrevista feita com o pai da criança. "Sabemos que sempre há risco morando em comunidade. Estamos morando lá há um ano e meio e fomos vítimas da violência pela primeira vez".  

A mãe da criança ainda não sabe que o pequeno Arthur ficou paraplégico. Apesar de estar lúcida e estável, Claudineia ainda não tem previsão de alta médica. Ela está internada na Unidade de Pacientes Graves do Hospital Moacir do Carmo, em Duque de Caxias. 

O jornal argentino "La Gaceta" também deu destaque ao assunto, informando que "a violência entre traficantes e a polícia deixou mais uma vítima". 

A rede 'Al Jazeera' também abordou o caso, mas com enfoque diferente. Na reportagem publicada no site, o destaque ficou para o protesto realizado neste domingo, em Copacabana, por moradores de diferentes comunidades do Rio, contra a violência nas favelas. A reportagem destacou que a manifestação aconteceu dois dias depois de Claudineia e Arthur serem baleados e a mulher precisar passar por uma cesariana de emergência.  

Bebê permanece em estado grave

Segundo boletim da Secretaria municipal de Saúde de Caxias, a última avaliação realizada em Claudineia, na manhã desta segunda-feira, indica que ela está estável e “hemodinamicamente respirando em ar ambiente e alimentando-se por via oral”. Ela apresenta “fratura em osso ilíaco e será submetida a tratamento conservador, sem necessidade de cirurgia”. Ainda de acordo com a prefeitura do município, ela segue em observação e vem apresentando melhoras em seu quadro clínico.

Arthur permanece em estado grave, segundo o boletim divulgado pela Secretaria estadual de saúde, na manhã desta segunda-feira. A criança, que está internada no Hospital estadual Adão Pereira Nunes, na Baixada Fluminense, está paraplégica e com um coágulo na cabeça. O laudo também aponta uma lesão na vértebra, na altura do tórax.

Nesta segunda-feira, o secretário municipal de Saúde de Duque de Caxias, José Carlos de Oliveiras, visitou Claudineia no hospital. Segundo ele, apenas o marido, Klebson Cosme da Silva, de 27 anos, e um primo têm comparecido ao hospital. A mãe de Claudineia, que mora na Paraíba, no Nordeste, ainda não chegou ao Rio.

— O marido conversou com ela e só disse que o bebê está no CTI. O prefeito de Caxias determinou que uma equipe com assistente social e psicologo dê total apoio aos familiares. Estarão ali para prepará-la e ampará-la no momento de contar o que ocorreu — disse o secretário.








Nenhum comentário:

Postar um comentário