quinta-feira, 27 de abril de 2017

Registros de homicídios disparam em Campinas


 CS São Domingos, onde vigia foi morta em janeiro: caso seria passional


A Polícia Civil de Campinas registrou um aumento de 51,8% nos casos de homicídios dolosos no primeiro trimestre de 2017, em relação ao mesmo período do ano passado, segundo as estatísticas divulgadas pela Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP). Foram 41 crimes cometidos nos três primeiros meses contra 27 em 2016. O número de vítimas teve um aumento de 92,5%, em relação ao ano anterior. Foram 52 mortes ante 27. Apenas em um caso em janeiro foram 12 vítimas, em uma chacina em crime passional na virada do ano. Nas estatísticas, cada caso registrado pode ter mais de um assassinato.
 
 
Outros crimes como roubo, furto e roubo de veículos também aumentaram. Já nos casos de estupro houve uma queda de 11,1%. Somente no mês de março, o número de homicídios foi de 16 casos, um aumento de 77,7% em relação a março do ano passado, quando houve 9 registros. A diferença para fevereiro foi apenas um caso a mais.
 
O delegado Rui Pegolo, do Setor de Homicídios e Proteção à Pessoa de Campinas (SHPP), afirmou que não há um motivo claro para o aumento de homicídios no trimestre, mas que ao mesmo tempo houve o aumento de casos esclarecidos. “Percebemos que os crimes de homícidio foram por motivos banais e execução entre quadrilhas”, explicou.
 
Segundo o delegado, os crimes aconteceram nas áreas mais carentes de Campinas e maioria são vítimas com antecedentes criminais, em crimes contra patrimônio e entorpecentes. “Também houve vítimas mulheres nessa estatística. Tirando a chacina, que tem a maioria mulheres, os outros casos em grande parte estão esclarecidos, pois envolvem crime passional”, acrescentou.
 
Roubos e furtos
 
Os casos de roubos em geral, roubo de veículos e furtos tiveram aumento nos três primeiros meses do ano em Campinas. Os roubos passaram de 2.315 casos no ano passado para 2.391 no acumulado dos meses de 2017. Em relação ao roubo de veículos, em 2016 foram 839 no período, contra 845 no primeiro trimestre deste ano. Uma média de 9,3 carros roubados por dia na cidade.
 
Foram ainda 4.502 furtos, o que representa um aumento de 11,7% no primeiro trimestre deste ano. Nos três meses de 2016, foram 4.027 casos.
 
Já os furtos de veículos tiveram uma queda de 3,9% em relação ao ano passado, com 1005 casos ante 965. Os roubos de cargas também diminuíram. Uma redução de 15,1%. Foram registradas 56 ocorrências este ano e 66 em 2016, no mesmo período.
 
Estupros caem
 
No primeiro trimestre de 2017 a Polícia Civil registrou 64 casos de estupro em Campinas. Uma redução de 11,1% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram registrados 72. O número de estupro de vulnerável (crianças e adolescentes) chegou a 46 casos nos três primeiros meses — esse tipo de ocorrência não era divulgado nas estatísticas da SSP em 2016.
 
De acordo com o delegado da 2º Delegacia Seccional, José Henrique Ventura, a segunda Delegacia da Mulher em Campinas (DDM) ajudou atender uma demanda que não tinha muito acesso e está próxima aos bairros periféricos da cidade. “Isso auxilia a vítima a começar a denunciar, e quando ela observa que estamos tomando providências, a tendência psicológica é diminuir o número de casos. Pois o autor fica com medo, porque estupro dá cadeia”, explicou.
 
O delegado ressaltou ainda a importância das pessoas fazerem o boletim de ocorrência caso acontece algum crime. “É um crime muito grave e ocorre muito no âmbito doméstico, principalmente de vulnerável, que geralmente é cometido por parentes. E a notificação é importante para diminuir o índice dessa criminalidade”, enfatizou Ventura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário