quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Colisão de 466 milhões de anos ainda lança asteroides na Terra

Fonte: MSN Notícias

Quem vê uma chuva de meteoros cortando o céu não imagina, mas eles foram formados muito antes dos dinossauros – no período Ordoviciano, quando o norte dos trópicos era dominado pelo oceano e a maior parte terrestre se concentrava no sul, o Gondwana. 

Cientistas da Universidade de Lund, na Suécia, descobriram que boa parte dos meteoritos, os L conditos , que caem na atmosfera terrestre atualmente são resultado de uma colisão que ocorreu há 466 milhões de anos no cinturão de asteroides – um conjunto de milhões de “pedras espaciais” que giram em torno do Sol, entre as órbitas de Marte e Júpiter. Ou seja, somos atingidos por corpos terrestres que se originaram no mesmo evento durante todo esse tempo.

Colisão que ocorreu há 466 milhões de anos ainda lança asteroides na Terra

Usando análises químicas de amostras de rochas encontradas no mundo todo, os pesquisadores concluíram que, antes dessa possível colisão, a Terra teve o impacto de diferentes tipos de meteoritos. 

O resultado, divulgado na Nature, mostra que 34% dos micro meteoritos que caíram por aqui antes da tal colisão eram “achondirtes primitivos” – um tipo de meteorito que só representa 0,45% dos que atingem a nossa atmosfera hoje.

Os corpos celestes se formam quando objetos rochosos (como asteroides, planetas ou luas) colidem, lançando fragmentos no espaço. O lado interessante da história é que esses meteoritos contêm elementos do corpo cósmico que os originou, dando aos cientistas um vislumbre único dos materiais existentes no nosso Sistema Solar. 

“Nós realmente não sabíamos quase nada sobre esses meteoritos antes deste estudo”, disse Birger Schmitz, um dos autores do estudo, aoThe Washington Post.  “Queremos estudar mais janelas no tempo, não apenas a área desta colisão no período Ordoviciano. A ideia é a aprofundar o nosso conhecimento de como os diferentes corpos no Sistema Solar se formam e interagem uns com os outros” , concluiu ele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário