terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Obra onde menino morreu segue inacabada em Campinas


O buraco em que um menino de 4 anos morreu no último dia 17 foi fechado, mas a obra no Jardim Satélite Íris, em Campinas, não foi retomada. É o que contam os moradores da Rua Joaquim Vieira Neto. Segundo eles, os trabalhos para o asfaltamento foram suspensos alguns dias depois da tragédia, quando os dois buracos na rua de terra foram cobertos pelos operários. Desde então, as máquinas deixaram o local e nada mais foi feito.

As principais reclamações, além da falta de informação sobre prazos, envolvem também as condições da via, que é íngreme e irregular em vários pontos. Um dos moradores, que não quis se identificar, detalha as condições. Ele diz que em dias de chuva é praticamente impossível passar de carro devido ao barro e a lama. E o problema é que a situação é antiga no bairro. Para piorar, não há prazo para que a rua seja asfaltada. A espera é longa.

Consultada, a Prefeitura informou através da assessoria de imprensa que as obras acontecem de maneira normal. O menino Pedro Júnior Mendes de Sousa morreu afogado na noite do dia 17. A suspeita é de que ele tenha saído de casa para brincar no vizinho. Ao atravessar a rua, não teria visto o buraco, que estava cheio de água. O acidente causou revolta no bairro por conta da sinalização, considerada insuficiente. Na ocasião, a Prefeitura lamentou o fato e disse que a terceirizada seria a responsável pelas normas técnicas de segurança. A Estrutural Engenharia, no entanto, não se manifestou sobre o acidente. A Polícia Civil abriu um inquérito para investigar as circunstâncias da morte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário