segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Conteúdos depreciativos são compartilhados após jovem ser encontrada


O desaparecimento da jovem Laís Helena mobilizou a Internet, porém logo após a adolescente de 16 anos ser encontrada, o teor de muitos comentários nas redes sociais foram depreciativos, machistas e até atingiram a família da garota.

Uma página no Facebook foi criada, com o pretexto de um evento, usando como pano de fundo o que ocorreu com Laís.

Ela saiu na noite de sexta-feira (27/01), dizendo que iria a um shopping de Campinas com irmão, mas não foi isso que aconteceu.

A jovem só foi encontrada no domingo, após denúncia à Guarda Municipal, que interceptou o ônibus em que ela estava, chegando à Rodoviária de Campinas. À polícia informou que foi a um acampamento em Sumaré com um amigo.

Com essa história, na página “Acampamento 2.0”, várias pessoas, principalmente adolescentes, fazem brincadeiras de mau gosto com a situação, criando montagens, os memes no jargão digital. Cerca de 500 mensagens desse tipo haviam sido postadas até o início da tarde desta segunda.

Na descrição do evento, a frase “Não pode avisar a mãe”, chama atenção.

Rogério Morandi que é coordenador do curso de Ciência da Computação da Faculdade Anhanguera reforça a responsabilidade que se tem ao postar algum conteúdo.

A sensação de estar escondido atrás do computador ou celular é falsa. Com mapeamento, a Polícia pode chegar aos responsáveis e dependo do que do que ocorreu, até puni-lo.

Diante de tanto conteúdo compartilhado, a orientação é sempre checar as informações que chegam pelas redes sociais em sites e páginas com credibilidade, como as que têm conteúdos jornalísticos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário