segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Políticas de Trump implicam risco à economia global, diz Goldman


A combinação de políticas do presidente eleito dos EUA, Donald Trump, pode acabar sendo negativa de forma geral para a economia mundial, segundo análise do Goldman Sachs.

Os analistas do Goldman citam a combinação de estímulo fiscal, tarifas comerciais, regras imigratórias mais estritas e juros mais elevados prometida por Trump.

Embora as economias desenvolvidas possam receber um impulso inicial com um pacote de estímulo fiscal dos EUA, o impacto diminuiria rapidamente e os reflexos nos mercados emergentes seriam negativos, afirmou o Goldman.

"Nossa análise sugere que as políticas do sr. Trump poderiam ser um obstáculo modesto ao crescimento global", escreveram os economistas do Goldman. "Um pacote fiscal maior poderia impulsionar o crescimento global moderadamente mais a curto prazo, mas uma combinação de políticas mais adversa provavelmente seria um obstáculo significativo para o crescimento mundial nos anos subsequentes."

Em teoria, uma explosão de investimentos do governo dos EUA tem consequências positivas. Uma demanda americana mais forte também estimularia as aquisições de produtos e serviços estrangeiros. Um dólar provavelmente mais forte também ajudaria as economias desenvolvidas com taxas de câmbio flutuantes, mas os ganhos para os mercados emergentes seriam mais limitados.

"As consequências para a China, por exemplo, dependem do quanto o renminbi se valorizará com o dólar e os efeitos líquidos são menos positivos para as economias dos mercados emergentes, que dependem fortemente de dívidas denominadas em dólares", disseram economistas do Goldman liderados por Jan Hatzius, em nota técnica com data de 13 de novembro.

É na combinação de políticas de Trump que estão os verdadeiros riscos. O presidente eleito sugeriu a necessidade de aplicar tarifas de importação de até 45 por cento sobre os produtos da China. A promessa de repressão à imigração e a preferência por um Federal Reserve mais hawkish provavelmente teriam consequências negativas para o restante do mundo.

"O obstáculo ao crescimento é brando, de uma forma geral, para as economias dos mercados desenvolvidos com taxas de câmbio flutuantes, mas significativamente negativo para algumas economias de mercados emergentes, incluindo a China", afirmou o Goldman.

O certo é que o julgamento do impacto da combinação de políticas prometida por Trump dependerá de quantas promessas de campanha se traduzirão em políticas de governo. Por enquanto, contudo, existem pontos claramente preocupantes para uma economia global que já enfrenta dificuldades para impulsionar o crescimento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário